São Bento do Sul
A História de São Bento do Sul liga-se intimamente à História de Joinville e à construção da Estrada Dona Francisca. Depois do início das obras da estrada, os imigrantes - que não paravam de chegar da Europa - começaram a subir a serra, por volta de 1873, montados em lombo de burros. Na região onde se localiza São Bento do Sul, se fixaram setenta famílias oriundas da Bavária, Prússia,Polônia, Saxônia, Áustria e Tchecoslováquia, além de algumas famílias brasileiras. Apesar das dificuldades encontradas, São Bento do Sul, prosperou e emancipou-se em 1884, apenas 11 anos após a chegada dos pioneiros, que marcaram o dia-a-dia da nova localidade com seus usos e costumes, expressos através da língua, da música, da dança, da literatura e do folclore.
 
 
Cidade da Música

O barulho do rojão soa como aviso. Dentro do coreto, os músicos tecem os primeiros acordes ao ritmo cadenciado das bandas alemãs. Em pouco tempo, a alegria e a multidão vão preenchendo cada canto da praça. A cena se repete há mais de 50 anos, nas noites de verão. As Retretas de Verão são um exemplo vivo da tradição musical de São Bento do Sul. O evento é organizado pela Banda Treml, a mais antiga bandinha alemã em atividade, criada em 1913. A cidade possui mais três conjuntos musicais e quatro orquestras.

A Polska Orkiestra z Brazylli, da Sociedade Varsóvia de São Bento do Sul, é a única do gênero do Brasil,e traz no currículo concertos pelo país e Europa. Walter Malewschik é músico e artesão de violinos, um legítimo "luthier", provavelmente o único em Santa Catarina. O trabalho que faz com paixão e técnica é conhecido em todo o país. Assim vive São Bento do Sul, do aprendizado e vivência da música à arte de confeccionar instrumentos. Assim vive a Cidade da Música.